domingo, 27 de junho de 2021

Por quê as crianças? Nada é por acaso.


O Burger King lançou uma propaganda onde crianças "ensinam" aos adultos o que é a comunidade LGBTQIA+. A tentativa de lacrada não deu muito certo e a rede de fast food sofreu uma onda de descurtidas nas redes sociais. Consumidores de todo país declararam estar cancelando o consumo de seus produtos.

Acontece que o BK não foi o primeiro nem o último a ter como foco as crianças. O plano é antigo e está escrito em diversos livros publicados desde o século passado: consiste numa revolução pedagógica proposital de caráter social e psicológico com objetivo de modificar os valores, comportamentos e atitudes para implantar uma nova sociedade intercultural

Os métodos para essa mudança foram escritos no livro Maquiavel Pedagogo e consiste em diminuir a influência da família, controlar o ensino e colocar na mão do Estado e das grandes empresas o domínio sobre o que as pessoas pensarão e aprenderão.

Passo 1 escrito nos documentos da UNESCO para reformar a sociedade, segundo o livro Maquiavel Pedagogo:

"Buscar o auxílio político, midiático dos formadores de opinião." Anitta, Felipe Neto e Burger King são exemplos.

Os pais são vistos como influência negativa para o alcance das metas, por isso há o passo 3:

"Programas de ação desenvolvidos para os pais e famílias." 

E o objetivo 4: 

"Formação ativa e direcionada dos professores" para que eles sejam engajados na revolução cultural.

O livro 'O comunista exposto' escrito em 1958 por W. Cleon Skousen, ex-agente do FBI, também denuncia: 

Meta 41: "Dar ênfase a necessidade de educar os filhos longe da influência negativa dos pais. Atribuir preconceitos, bloqueios mentais e retardamento das crianças a influência supressiva dos pais."

Em forma de romance, no século passado, também foram escritos livros que previam como seriam a sociedade de acordo com os planos comunistas. 

Fahrenheit 451 de Ray Bradbury mostra uma sociedade onde a família não é importante, os filhos são criados pelo governo e as pessoas conversam superficialmente porque ficam o dia inteiro em frente a uma tela assistindo programadas imbecilizantes;

O livro 1984 de George Orwell mostra uma sociedade onde não existe família nem relacionamentos amorosos; 

E no livro Admirável Mundo Novo, a sociedade acha nojento as palavras "pai" e "mãe. 

Ou seja, vemos um grande esforço para focar nas crianças. Mas por que elas? 

A resposta é simples: a destruição da família. No Manifesto do Partido Comunista, Karl Marx propõe a abolição da família tradicional, pois ela é a causa da propriedade privada.


Resumindo: o que sustenta a família tradicional? O capital. Como fazer para destruí-la? Deve-se destruir primeiramente o capitalismo e a propriedade privada. 


E quem mais vulnerável dentro da instituição familiar que a criança? Com a doutrinação escolar; com a investida da mídia e dos formadores de opinião; com a pedofilia disfarçada de arte, as crianças absorvem aos poucos ideias contrárias aos valores tradicionais e se tornam um instrumento da revolução. Crianças erotizadas são adultos poucos abertos a formarem família, comprometendo sua cognição e seu relacionamento com outras pessoas.

Cuidem de suas crianças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário