quarta-feira, 15 de maio de 2019

Bolsonaro fortalece Lei Maria da Penha. Ué? Ele não era machista?


Nesta terça-feira (14) Bolsonaro e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves sancionaram mudanças na Lei Maria da Penha, 11.340 de 2006. 

De acordo com a nova regra, basta ser comprovada a existência de risco atual ou iminente à vida ou integridade física que o suspeito poderá ser imediatamente afastado do local de convivência da vítima. 

O agressor poderá ser retirado de casa sem decisão judicial

Antes, a lei dava um prazo de 48 horas para a polícia comunicar a Justiça sobre a agressão, só então era decidido sobre medidas protetivas. Nesse meio tempo, a vítima já poderia estar morta enquanto o Estado ainda decidia como protegê-la. Ridículo, não?
Sendo assim, esse aperfeiçoamento poderá salvar um número expressivo de mulheres agredidas e ameaçadas diariamente.

A alteração da lei também garante que não será concedida liberdade provisória ao agressor "nos casos de risco à integridade física da ofendida ou à efetividade da medida protetiva de urgência".

Finalmente algo foi feito para proteger de verdade as mulheres e ajeitaram essa lei que só fazia alguma coisa depois que a vítima já estava morta! O mais interessante é que a iniciativa partiu de um presidente que foi tachado de machista pelas feministas cabeludas, fedorentas e mal amadas, não é?

Por um mundo com mais "machistas" como Bolsonaro! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário