terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Vitimismo: a enfermidade do século XXI



Procurei no Dicionário Informal o que significa a palavra vitimismo: "é o nome da doença das pessoas que se acham punidas com qualquer coisa ou assunto". 

Definição interessante. 

Ser vítima pode ser algo muito vantajoso. A pessoa pode fazer qualquer coisa que não será criticada e ainda contará com a compaixão e a compreensão de muitos, independente do que fizer. E quem criticar suas atitudes será visto como desalmado e intolerante. 

Infelizmente, nossa sociedade está recheada de "vítimas".

Eu sei que assim que você leu esse título pensou nas pessoas de esquerda com seu vitimismo eterno e coitadismo por serem mulheres, negros e gays, como se todo homem, branco e hétero não sofresse nunca. 


Quando eu falo em vitimismo também costumo lembrar deles, mas no momento em que escrevo esse texto, penso em todo tipo de pessoa, independente da posição política.

Ser vítima é uma posição muito confortável, afinal de contas a culpa de seu fracasso é sempre de terceiros. A vítima, na verdade, entrega sua responsabilidade, seu bem-estar, sua felicidade na mão de outros, na maioria das vezes na mão do governo e esse vitimismo é muito cômodo.

Essa geração, principalmente, tem uma tendência natural ao coitadismo, a procurar um culpado por seus fracassos. Assuma suas responsabilidades e mude. Quando você sair da posição de vítima perceberá que o problema é menor do que parece. 

É claro, existem fatores externos que realmente não podemos controlar, a questão é que lição você vai tirar disso. 

Stephen Hawing, por exemplo, é portador de esclerose lateral amiotrófica, uma rara doença degenerativa que paralisa os músculos do corpo e não tem cura. Ele não tem controle sobre isso, mesmo assim é um dos cientistas mais consagrados da atualidade. 


Walt Disney foi demitido do jornal Kansas City Star por falta de criatividade. 


J.K. Rowling era mãe solteira, vivia da ajuda de benefícios do governo e foi rejeitada por 12 editoras até que uma editora pequena aceitou Harry Potter. Hoje já vendeu mais de 450 milhões de cópias, além da bem-sucedida franquia de livros.


Essas pessoas acima tinham tudo para se fazerem de vítimas, desistir e colocar a culpa em forças externas, mas ao invés disso tiveram a iniciativa de resolver seus próprios problemas. Não esperaram a solução cair do céu. 

Não existe pessoa de sucesso que tenha se colocado na posição de vítima e tenha permanecido lá.

O vitimismo é a pior enfermidade que existe. É um estado de melancolia que se alastra e contagia as pessoas que o cerca. Pessoas de excelência não são vitimistas, são protagonistas de suas próprias vidas. 




Nós vivemos numa sociedade fresca: a pessoa que faz sucesso é um problema, a pessoa que se tornou rica é acusada de ter roubado alguma coisa para chegar lá. Ou seja, é mais fácil criticar alguém que se tornou bem sucedido, abriu uma empresa e distribuiu oportunidades de emprego do que fazer o que ele fez. 

É mais fácil ficar com pena daquele que desistiu. 

Se você é assim, entenda: você será reflexo de todos os outros que fazem a mesma coisa, não conquistará nada! Agarre o volante da sua vida. 

Você é 100% responsável pelo controle da sua vida.