segunda-feira, 6 de novembro de 2017

MST causa prejuízo de 60 milhões em fazendas baianas e ninguém foi preso.

Você lembra quando Lula falou que o exército do MST deveria ir para rua? Pelo visto, João Pedro Stédile, o líder dessa organização criminosa resolveu atender seu pedido.

O MST é um movimento terrorista que recebe dinheiro de nossos impostos e destrói o esforço e o legado de quem trabalha.

Duas fazendas, em Correntina, oeste da Bahia foram totalmente depredadas por integrantes do MST. Eles quebraram todo o sistema de irrigação, destruíram as torres de transmissão de energia elétrica e incendiaram a casa principal.


Que se dane nossa economia, o que importa é a ideologia.

Eles são "Sem Terra", mas tem veículos 

Os marginais chegaram no local em caminhões e em mais de 10 ônibus e começaram a destruir tudo o que viram pela frente. Na fazenda de Igarashi, grande produtora de soja, pegaram uma Patrol (máquina tratora de pneu que faz o acabamento final de terraplanagem), arrancaram 20 pivôs da propriedade e o destruíram. No total, o prejuízo foi de 60 milhões, mas ninguém foi preso. 

E isso não é de se espantar. Afinal de contas, o MST tem o governo como seu aliado.






“Nota de esclarecimento:
A Lavoura e Pecuária Igarashi vem esclarecer que suas instalações no município de Correntina, estado da Bahia, foram ilegal e arbitrariamente invadidas por indivíduos que, arrebentando cercas, ateando fogo nas instalações, destruindo maquinários, todo sistema de energia, tratores, ameaçando seus colaboradores, promoveram um ato de vandalismo injustificável e criminoso, ferindo, inclusive, um de seus colaboradores.
A Igarashi ressalta que todas as atividades desenvolvidas possuem as autorizações ambientais, que por sua vez percorreram toda tramitação perante aos órgãos ambientais competentes, sendo que somente foram iniciadas as atividades após a regular conclusão de todos os processos de autorizações e licenças com seus estudos, inspeções, vistorias e conclusões.
Atuando na produção de alimentos consumidos diretamente pela população do estado da Bahia e região nordeste, com papel fundamental para a mesa da família brasileira – produzindo e fornecendo batata, cenoura, feijão, tomate, alho, cebola e outros, tudo para consumo interno, sob rigorosos padrões de conservação ambiental e forte investimento em tecnologia, que possibilita o uso sustentável dos recursos naturais.
A Igarashi repudia, veementemente, todos os atos criminosos de vandalismo praticados, dos quais foi vítima. Ato que não tem qualquer legitimidade ou justificativa ambiental, ao tempo em que adotará todas as medidas legais para defesa dos seus direitos e responsabilização dos indivíduos que cometeram referidos atos de vandalismo.
A Igarashi reforça seu compromisso permanente com o desenvolvimento sustentável, preservação da integridade física das pessoas, garantia da ordem e segurança, ao tempo em que continuará sua missão de produzir alimentos para a mesa da família brasileira.”