quinta-feira, 9 de novembro de 2017

#2 - Livros proféticos do século passado: Admirável Mundo Novo, Adouls Huxley


Esse livro foi publicado em 1932. É importante começar o artigo com essa informação para você perceber o quanto Adouls Huxley acertou. É uma das distopias mais marcantes que você pode ler.

Pontos marcantes da civilização do admirável mundo novo: 

- Há um governo mundial;
- A religião é a voz do governo;
- Não há família;
- Não há casamento;
- Toda a educação é cuidada pelo Estado;
- Todos os seres humanos são criados num laboratório;
- Amulheres não engravidam, pois existe o cinto malthusiano e elas acham nojento a ideia da gravidez;
- Caso aconteça de a mulher engravidar, há clínicas de aborto disponíveis 24 horas por dia. 
Todos são doutrinados desde seu nascimento a achar nojento o conceito de "família", "pai" e "mãe". 
- Não há monogamia. Um dos lemas da sociedade é "cada um é de todos". 
- Os nomes são padronizados, para homenagear os pais daquela nova civilização: Ford, Marx, Lênin (ou Lenina), Bernard, Shaw, Darwin.
- Há uma droga chamada soma que é distribuída pelo governo.
- A velhice foi abolida. Eles vivem para morrer jovens e são condicionados a achar a morte natural.
- Os únicos livros permitidos são os técnicos escritos por autores da nova civilização.





A cena inicial do livro é narrada pelo Diretor de Incubação e Condicionamento de forma bem técnica e entediante. Ele faz um tour com os alunos dentro do laboratório e lhes mostra como os seres humanos são criados, como são separados por categoria e doutrinados ao longo de suas vidas. Durante o tour, eles passam por um grupo de crianças de 7 anos que estão em suas brincadeiras sexuais diárias e um dos meninos começa a berrar porque não quer brincar daquilo. Sua doutrinadora o segura pelo braço e o leva para o Superintendente-Adjunto de Psicologia para ver qual problema se passa com aquele garotinho para não querer brincar sexualmente com sua amiga.

"Durante um período muito longo antes de nosso Ford, e até no decurso de algumas gerações posteriores, os brinquedos eróticos entre as crianças eram considerados anormais; e não apenas anormais, mas realmente imorais; e eram, portanto, rigorosamente proibidos." O Diretor revelou a espantosa verdade. (pag.53)

É a partir do capítulo 3 que aparecem alguns dos personagens principais. Lenina num diálogo com sua amiga informa que sairá naquela noite com o mesmo homem que está saindo há 4 meses. Sua amiga considera aquilo um absurdo e lhe aconselha a ficar com outros homens, pois fica mal para a reputação dela ficar com apenas um por tanto tempo. Além do fato de que Henry Foster, o homem que Lenina está saindo, é um perfeito cavalheiro: sempre se porta corretamente e sai com várias mulheres. 

Lenina percebe o quanto está sendo negligente e resolve dar uma oportunidade a Bernard Marx, um homem que a chamou para sair. 

Bernard não se encaixa muito bem naquela sociedade, ele gosta de ficar sozinho, gosta de conversar, acha errado as mulheres serem tratadas como pedaços de carne e também acha errado as mulheres se enxergarem assim. De alguma forma, a doutrinação não funcionou muito bem com ele. Há um boato de que alguém se enganou quando ele ainda estava no bocal. Pensaram que fosse um Gama e puseram álcool no seu pseudossangue, por isso, Fanny, a amiga de Lenina, fala que não é muito legal a ideia de sair com ele.

Porém, Lenina resolve aceitar mesmo assim. Bernard e ela visitam a Reserva dos Selvagens. Lá vivem as pessoas não civilizadas. Elas ainda praticam a monogamia, existe família, a religião, as mulheres engravidam e envelhecem. Lenina, ao chegar, fica extremamente horrorizada quando um velho aparece a sua frente e depois quando vê uma mãe amamentando, pois ela acha aquilo vergonhoso. Na reserva, eles conhecem um Selvagem chamado John, ele nasceu de uma mulher civilizada que foi deixada na reserva dos selvagens por estar grávida. Sua mãe o ensinara a ler e, quando criança, encontrou uns livros velhos e passou a ler. O autor era Shakespeare.

John conseguiu a oportunidade de ir visitar o Admirável Mundo Novo que sua mãe tanto lhe falava. Porém, ele percebeu que o mundo não era tão admirável assim.





COINCIDÊNCIA?

O livro foi escrito antes da Segundo Guerra Mundial. 

Quando Adouls Huxley o escreveu não havia acontecido ainda a chamada Revolução Sexual e os anticoncepcionais ainda não eram correntes; foi antes do Revolução das Drogas, não existia LCD na época e o autor fala de uma droga que ele chama de soma. O aborto também estava longe de ser legalizado, a engenharia genética estava longe do ponto que ela chegou hoje, eram ideias de ficção científica, a ONU não exista.

COMO ADOULS HUXLEY ACERTOU TANTO?

Primeiramente é importante você saber que o autor desse livro era irmão de Julian Sorell Huxley, o primeiro diretor geral do UNESCO. E é importante você saber também que a UNESCO tem documentos que mostram as técnicas de manipulação psicológicas usadas nas escolas e na sociedade para mudar os valores e destruir a família. 

Então... coincidência? Não! O plano de fazer a sociedade ir por esse caminho já estava escrito no século passado. O livro The Naked Communist (O Comunista Nu) nos mostra que 45 metas comunistas estão sendo muito bem cumpridas.

Ou seja, Adouls Huxley apenas romantizou as informações que ele tinha de como seria o mundo no futuro. Porém, em uma entrevista disponível no youtube, ele confessa que imaginava que isso se cumpriria por volta de 2540 e não tão cedo. Muito do conteúdo desse livro são projetos que já estavam sendo arquitetados pela classe intelectual desde antes do século XX. Projetos de H. G. Wells, George Bernard Shaw, Ford, Marx, Lenin. 

CONCLUSÃO

Nós vivemos numa sociedade em que os valores tradicionais não importam mais, as pessoas que querem conservar a moral e os bons costumes são vistas como uma ameaça. Se você não trai seu parceiro, é visto com estranheza. Afinal ninguém é de ninguém. Se você tem um religião e tenta conter seus impulsos, é bobo, afinal "depois Deus perdoa". Enfim, Adouls Huxley não acertou a toa.