quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Provas de que essa é a geração mais chata de todos os tempos

O mundo está chato e sensível demais. Essa é uma geração de mimados, ressentidos, chorões. Você não pode falar nada que todo mundo se ofende. Se fizer uma crítica todo mundo toma como pessoal, se postar alguma coisa no Facebook acham que é indireta. É a era da infância estendida. Ninguém quer crescer.

Segue alguns exemplos de chatices da geração mimimi:




Com um vídeo cheio de feministas chatas reclamando sobre elogios, como "delicada", "linda", "vaidosa" e "princesa", a Avon lançou a seguinte frase: "o que você diz às meninas hoje influencia quem elas serão amanhã. Repense o elogio."



Sexismo: atitude de discriminação fundamentada no sexo.

Justificativa da geração chata: "A princesa Peach continua com o papel de mulher frágil"

"É 2016, então por que Super Mario ainda está salvando uma princesa que faz bolos?", reclamou o site Recode.

"Mario Bros é divertido e tudo mais... mas por que a Peach deve fazer bolo para a festa? Não podia ser a DJ ou alguma coisa do gênero?" escreveu Kate Sommers, vice diretora da Mashable.

Minha solução para vocês: O Super Mario é assim desde 1985. Não está satisfeito com o jogo? Não jogue! Não encha o saco! Crie seu próprio jogo. 



"De acordo com uma pesquisa realizada em 2014 pelas universidades de Illinois e Arizona, tempestades com nomes de mulher são mais letais que suas versões masculinas porque não são levadas tão a sério." Afirmou o site R7

Sobrou até para os furacões. 




"Não há nenhuma moça nerd no programa... Nenhuma garota se interessa por videogames, RPG, jogos, ou ficção científica. Todas elas possuem gostos padrão: sair com as amigas, ver filmes de romance, comprar roupas e sapatos, e possuem aspirações profissionais. O espaço nerd da serie é reservado aos homens." Reclamou a feminista chorona que nunca assistiu The Big Bang Theory



Globo: "Os filmes baseados em Nicholas Sparks são o equivalente cinematográfico as ascensão do neoconservadorismo nos EUA -  e não apenas lá, seu sucesso em muitos países  (Brasil incluso na lista) tem a ver com a onda conservadora dos últimos anos. Vê se aí um mundo pautado por esses valores, habitado por gente linda e loira, sem um fio de cabelo fora do lugar, cujo machismo, por exemplo, é recompensado com fama, a garota dos seus sonhos e uma bolada de dinheiro."






Todos os personagens do Sparks são românticos, gentis e cavalheiros. São perfeitos príncipes encantados que fazem de tudo para conquistar sua amada. E para a Globo, isso é machismo.



A personagem Mística aparece em cartaz sendo estrangulada pelo vilão. Os mimizentos acusaram a Fox de promover a violência contra a mulher. 

"Há um grande problema quando os homens e mulheres da Fox pensam que violência casual contra mulher é um jeito de promover um filme. Não há contexto na propaganda, apenas uma mulher sendo estrangulada. (...) Imagine se um negro estivesse sendo estrangulado um branco, ou um gay por um heterossexual? A crítica seria enorme. Então vamos deixar claro que isso está errado."

Pelo visto até os vilões devem ser politicamente corretos, não é?

Livro da Barbie é acusado de machismo porque boneca precisa de ajuda de homens para fazer seu trabalho


Estou só criando as ideias de design - diz Barbie, rindo. - Precisarei da ajuda de Steven e Brian para transformar num jogo de verdade!

"Deveriam ter vergonha de publicar essa besteira misógina", escreveu uma professora de ciência da computação.

Um site feminista fez uma campanha para coletar assinaturas para a petição que demanda alterações no livro.

Daqui a mil anos não seremos lembrados como a geração do iPad, seremos lembrados como a geração dos ressentidos e chorões.