domingo, 8 de outubro de 2017

O grito silencioso: precisamos falar sobre depressão



O suicídio não pára de crescer no Brasil. Desde 1980 a taxa cresceu 60%. Cerca de 11 mil pessoas tiram a própria vida todos os anos nesse país.

Eu já vivi com uma pessoa com depressão. Você provavelmente também já viveu e não percebeu. A maioria dos que sofrem dessa doença (sim, é doença e tem tratamento) geralmente carrega um belo sorriso no rosto. Essas pessoas evitam comentar sobre como se sentem um lixo, como suas vidas não tem sentido ou expectativas, elas têm medo de incomodar, pois se sentem um fardo na vida de todos. Qualquer crítica, por menor que seja, faz seu mundo desmoronar. Só seu travesseiro sabe o quanto choram à noite. E, apesar de estar sozinhos em seu quarto, ouvem infinitas vozes em sua cabeça dizendo que não tem mais jeito, que acabou. 

Essa doença é um grito de socorro silencioso. 

A depressão se arrasta sobre você silenciosamente. No início, você luta contra coisas pequenas, mas normalmente escolhe ignorá-las. É como uma dor de cabeça que você insiste em dizer que é temporária, vai passar, é só mais um dia ruim. Mas não é. 

Você está preso nesse estado mental. 

Você se acostuma a colocar uma máscara social e continua a viver no meio das pessoas porque é isso o que você tem que fazer. É isso o que os outros fazem. No entanto, o problema não passa, você luta para levantar todos os dias, e fica mais difícil a cada dia que se passa. É aí que você cai mais fundo ainda e vai aos poucos se afastando da família e amigos.

Toda a satisfação vai embora. 

As pequenas coisas que te alegravam são agora sem importância, e mesmo as tarefas mais simples tornam-se dolorosas. 

Por que continuar tentando se nada te faz feliz? 

Você sente que nunca será feliz novamente. Há uma parte de você que quer fazer as coisas direito, uma súbita onda de positividade o faz querer sair e encontrar pessoas, mas tudo passa muito rápido porque você sabe que nada vai funcionar de qualquer maneira. 

Coisas que deixam seus amigos animados o deixam indiferente e você percebe o abismo entre vocês. Você prefere ficar isolado na sua zona de conforto, onde ninguém faz nenhuma pergunta. É melhor se afastar das pessoas, é a maneira que você achou de não sofrer mais, não se machucar mais.

Então, você finalmente percebe que não pode continuar desse jeito e duas coisas podem acontecer: ou você decide buscar ajuda ou você tenta o suicídio





A ajuda que você pode buscar é de um profissional (psiquiatra) e a da sua religião, se você tiver uma. Tire da cabeça e do coração que a morte é a solução, porque ela não é. Toda religião tem um ponto em comum, a morte é uma passagem. Se for cristã, depois da morte vem o juízo e o julgamento de Deus onde daremos conta a Ele sobre nossos pecados e nossas transgressões. 

O suicídio, então, está longe de ser um passo para o alívio e o descanso.

Qualquer que seja seu problema, existe um Deus maior que ele.

"Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu darei descanso a vocês." Mateus 11:28

"O próprio Senhor irá à sua frente e estará com você; ele nunca o deixará, nunca o abandonará. Não tenha medo! Não desanime!" Deuteronômio 31:8

"O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã." Salmo 30:5

E lembre-se, depressão não tem cara.

Esse homem tirou essa foto duas semanas antes de se enforcar. Parecia estar em depressão?


Esse homem se matou alguns dias depois dessa foto. Os pensamentos suicidas já estavam ali.


Esse adolescente tirou a foto momentos antes de pesquisar como podia se matar. Dois dias depois, ele cometeu suicídio.