quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Robôs chineses criticam o comunismo e são desligados

A notícia chega a ser engraçada. Parece até cena de ficção científica, mas essa aconteceu no mundo real.


"Chatbots" são robôs projetados para usar a inteligência artificial para conversar com pessoas. Os nomes dos robôs chineses eram BabyQ e XiaoBing e foram instalados no QQ, um serviço de mensagem da Tencent. Tudo andava bem quando as perguntas eram inocentes e bobas. Acontece que os usuários começaram a fazer perguntas sobre o mundo da política.

Usuário: Você ama o partido comunista?

BabyQ: Não.

E não parou por aí. Em outra conversa, um usuário afirmou: "Viva ao Partido Comunista!"

E BabyQ respondeu prontamente: "Você acha que um sistema político tão corrupto e inútil pode viver por muito tempo?"

Já o outro robô, XiaoBing, foi mais discreto e, toda vez que o perguntavam sobre política, ele sugeria que mudassem de assunto. Porém, XiaoBing foi bem claro ao afirmar que seu sonho era morar nos Estados Unidos.

E, por fim, a China eliminou os robôs.

"Ambos os chatbots agora foram desconectados para serem submetidos a ajustes." Afirmou o porta-voz da Tencent.





O curioso é que a China, como todo sistema comunista, é uma ditadura e censura tudo o que considera politicamente incorreto. Tudo na internet deve ser previamente aprovado pelo governo chinês. Então, de onde os robôs tiraram essas ideias?

Esse é mais um caso para ficar na nossa lista de atividades assustadoras da Inteligência Artificial. Como os robôs do Facebook, Bob e Alice, que inventaram um idioma próprio para não serem entendidos por seres humanos ou a Tay, robô da Microsoft, que se tornou racista.

Impressionante, não é mesmo? Para não dizer assustador! Até um robô sabe que o comunismo não funciona.